Pressão familiar e na vida pessoal, seja em relacionamentos ou carreira. Hoje em dia, ainda mais com o acesso vitalício à internet, cresce o número de pessoas com saúde mental afetada. Pode não parecer para alguns, mas tal condicionamento atrai malefícios para a saúde geral da mente e do corpo. Um dos desdobramentos está diretamente ligado à vida financeira. Com este artigo, o consultor financeiro Raphael Bremenkamp separou métodos eficazes para equilibrar a saúde mental e as finanças. Confira com atenção, a seguir.

Importância de alinhar a saúde mental à financeira

Saúde mental e financeira

O que é saúde mental?

A saúde mental está ligada às emoções negativas e positivas do cotidiano. As funções da mente, quando colocadas em situações incômodas, podem interferir no convívio social. Além de toda a interação introspectiva. E, com isso, o desenvolvimento de doenças graves. Por exemplo, estresse, ansiedade, dependência química, depressão, queda de concentração e produtividade, afastamento da família e de relacionamentos. Enfim, são diversos transtornos que se desenvolvem quando a saúde mental está afetada.

E a financeira?

Como dito anteriormente, ser um desdobramento da saúde mental faz da saúde financeira um dos degraus rumo à vida saudável. As finanças pessoais geram demandas que, em tempos de crise, comumente se tornam conflituosas. Isso atinge diretamente a mente. Ter uma saúde financeira estável não é sinônimo de riqueza. É ter controle dos gastos e orçamento e até previsão de possíveis investimentos. Em resumo, não gerar estresses demasiados que venham a interferir na saúde mental. Consequentemente, em doenças. Ou seja, se livrar de dívidas, empréstimos e articulações do tipo.

Qual é a relação?

Ter uma boa situação financeira influencia na qualidade de vida, logo, saúde mental. Todavia, esse bem-estar demanda organização e cuidados que começam na mente. Depois, se externalizam em planejamentos e passos positivamente calculados. No movimento contrário, pensando na pessoa com problemas emocionais e estresse, as finanças são impactadas também. Portanto, não se deve separar saúde mental da financeira. Caminham juntas e podem ser cuidadas de igual forma. Atente-se!

Passo a passo para o equilíbrio e saúde mental

Equilíbrio da saúde mental e financeira

Comportamento

Mudar a forma como pensa e, em seguida, os comportamentos, é sim uma atitude benéfica. Lógico, pensando em educação financeira. Hábitos e costumes que influenciam na forma de pensar em dinheiro devem ser sempre reavaliados. As motivações alinhadas aos objetivos devem andar juntos e incentivar uma busca por melhorias. Correr atrás do que fornece resultados reais, mesmo que saia da zona de conforto, é essencial.

Diagnóstico

Antes de investir em planejamento, é necessário entender quais são as necessidades e gastos atuais. Portanto, realizar um diagnóstico da sua vida financeira é um ponto importante para melhorar a saúde mental. Coloque no papel/planilha informações como: salário líquido, receitas, quais são os gastos mensais, investimentos, dívidas, desejos, seguros e previdência, orçamento pessoal e familiar e plano B. Essa análise é importante para ter uma visão geral e identificar problemas.

Padrão de vida

Por falar em problemas, um que sempre aparece é a incompatibilidade de padrão de vida com realidade. Suprir certas demandas pessoais que quase sempre são substituíveis não deve ser a prioridade. Se a situação estiver apertada, não gaste mais do que ganha e fuja de dívidas. Esqueça a falsa aparência e busque por qualidade de vida mesmo usufruindo de valores menores que o comum. O segredo é se programar para poder conquistar sem sofrer.

Orçamento

Com o diagnóstico, é possível observar quais são os gastos realmente necessários. A partir dessa informação, estipule orçamento para cada segmento do cotidiano. Esse orçamento é em prol dos objetivos de curto, médio e longo prazo. Faça cortes necessários e defina uma quantia para alcançar as metas. Lembre-se: não fuja da realidades e nem do mais necessário: alimentação, moradia, água, luz e educação.

Reserva de emergência

Com organização e planejamento, você conseguirá ter mais controle das finanças. Fazer uma reserva de emergência é essencial. Esse investimento mensal auxilia em casos de desemprego, doença e imprevistos econômicos. Dessa forma, já tendo a “poupança”, não atinge diretamente o orçamento do mês que precisar.

Aposentadoria

Um dos caminhos de uma saúde mental afetada é a ansiedade. Muitas vezes por pensar no futuro, as pessoas acabam adoecendo. Inclusive, aposentadoria é um tópico que preocupa quem lida diretamente com suas finanças. Com o país constantemente em crise, fica imprevisível o rumo que a vida tomará para ter condições ao se aposentar. Por essa razão, desde agora uma parcela do salário deve entrar no orçamento dedicado à aposentadoria.

Não pare a leitura aqui!

Como visto até aqui, muitos tópicos estão ligados a como o planejamento se dará. No blog que coleciona dicas do consultor financeiro Raphael Bremenkamp, é possível achar diversos artigos exclusivos que podem te ajudar. Traçando um paralelo entre saúde mental e vida financeira, leia os artigos sobre controle de orçamento doméstico, saúde financeira, aposentadoria programada, planejamento de despesas pessoais, controle de finanças, hábitos financeiros e planilha de gastos pessoais.

Conte com um consultor financeiro

Consultor financeiro e saúde mental

A maneira mais saudável de investir em melhorias para a situação financeira e, consequentemente, para saúde mental, é com acompanhamento de um consultor financeiro pessoal. Conte com a Bremenkamp Consultoria Financeira. Possuímos métodos de análise da sua vida financeira e pontos que podem melhorar. Entre em contato e veja como podemos lhe ajudar.