Procedimentos de regularização de dívidas têm sido cada vez mais requisitados por devedores. Por mais que o atual cenário econômico brasileiro não seja dos mais contemplativos, isso não impossibilita as pessoas de procurarem formas de quitar as dívidas.

Desaceleração econômica, desemprego, inflação e juros elevados são algumas das adversidades apresentadas pela atual conjuntura econômica do país. Infelizmente, muitas pessoas são impactadas por essas problemáticas e, em virtude disso, têm as fontes de renda comprometidas. De acordo com o estudo feito pelo IBGE, em 2016, a taxa de desemprego registrada correspondeu a 10,2% da quantidade de trabalhadores. Exatamente 10,4 milhões de brasileiros ausentes no mercado de trabalho.

Mesmo que a falta de remuneração dificulte os pagamentos das contas, uma parcela considerável de cidadãos continua priorizando o nome limpo. Eles têm procurado por procedimentos de regularização de dívidas que sejam flexíveis e de fácil adesão. Em contrapartida, outra parte da população sente a mesma necessidade de se libertar do endividamento, mas encontra dificuldades em saber qual dos procedimentos de regularização de dívidas é o mais eficiente. Visando sanar esse tipo de questionamento, a Bremenkamp Consultoria Financeira destacou os principais aspectos de dois procedimentos de regularização de dívidas bastante solicitados no mercado:

Confira os procedimentos de regularização de dívidas

Renegociação de dívidas

Negociando os procedimentos de regularização de dívidas

Dentre as opções de procedimentos de regularização de dívidas, a renegociação de dívidas é apontada, por especialistas financeiros como uma forma eficiente do consumidor endividado quitar os débitos. Porém, para aderir a este procedimento, o cliente precisa saber o valor exato das dívidas. Além disso, o acordo só deve ser formalizado após o devedor ter consciência de que poderá cumprir as condições combinadas. Para compreender melhor como funciona essa vertente dos procedimentos de regularização de dívidas, confira a seguir seus pontos positivos e negativos:

Vantagens

Flexibilidade na formulação dos acordos: como há a possibilidade de transferir a dívida de uma instituição inicial para outra organização financeira, é viável acertar com o credor o valor dos juros a ser cobrado. Caso ele demonstre interesse em deter a dívida, o cliente poderá propor um acordo mais flexível e que contemple a baixa cobrança de taxas;

Praticidade para renegociar: determinadas instituições já oferecem a possibilidade de renegociar as dívidas por meio da internet. É um recurso que compõe as ações de renegociação de dívidas e que está disponibilizado às pessoas que priorizam a agilidade em procedimentos de regularização de dívidas;

Maior interação entre o credor e o devedor: como é uma renegociação, essa modalidade de procedimentos de regularização de dívidas permite o diálogo direto entre os envolvidos. Credor e devedor participam ativamente do acordo e sinalizam os interesses;

Feirões de renegociação: existem inúmeras instituições que participam de mutirões de renegociação de débitos. Geralmente, as condições apresentadas nestes eventos são mais atrativas comparadas às disponibilizadas em acordos individuais.

Desvantagens

Conflito de interesses: por ser um dos procedimentos de regularização de dívidas que permite o debate, as partes envolvidas podem defender as suas respectivas condições até que se chegue a um denominador comum. Contudo, nem sempre chega-se a uma definição unânime e, consequentemente, alguém acaba sentindo-se desfavorecido;

Taxas extras impostas: infelizmente, há organizações que se aproveitam da fragilidade dos devedores e decidem delegar taxas extras à definição da nova quantia a ser paga. Para evitar situações como essa, é recomendável revisar atentamente o saldo devedor original;

Imposição de normas descabíveis: algumas instituições tiram proveito da ansiedade dos clientes para adotar procedimentos de regularização de dívidas e acabam condicionando a renegociação de dívida à contratação de serviços. Ou seja, os credores “empurram” aos devedores formas de mantê-los “presos” à organização fazendo com que paguem mais do que deveriam;

Padronização das renegociações online: o fato de renegociar dívidas pela web sugere certa praticidade, porém as soluções online são padronizadas e não contemplam todos os perfis de clientes. Para quem almeja procedimentos de regularização de dívidas personalizáveis, esse quesito da renegociação de dívidas pode ser um grande empecilho.

Portabilidade de dívidas

Portabilidade como um dos procedimentos de regularização de dívidas

Na busca por procedimentos de regularização de dívidas que permitissem a troca de um endividamento caro por um débito mais barato, foi criada pelo Banco Central, em 2006, a portabilidade de dívidas. Dentre os procedimentos de regularização de dívidas, a portabilidade objetiva incentivar a concorrência entre as organizações financeiras. Veja os ônus e os bônus da adesão à portabilidade de dívidas:

Vantagens

Troca de dívidas: o benefício de trocar uma dívida maior por uma menor é algo favorável ao devedor, pois, desse modo, ele consegue negociar o valor dos juros e das demais taxas cobradas em suas dívidas. O que é ótimo para quem pretende adotar procedimentos de regularização de dívidas que não evoquem custos a mais;

Troca de credor: quando a ideologia do credor não condiz com a perspectiva do devedor ou quando a organização excede-se na cobrança de taxas, talvez a troca de credor seja a decisão correta a ser tomada;

Dever a um único credor: como esse é um dos procedimentos de regularização de dívidas que sugere a maior mobilidade dos débitos, é possível o devedor concentrar todo o endividamento em uma único instituição. Mesmo que se some uma quantia alta a ser paga, deve-se lembrar de que os débitos foram reunidos e, a partir de então, pertencem a uma única organização financeira;

Incentivo à disputa entre as instituições financeiras: ao buscarem por organizações que apresentam menores taxas de juros em procedimentos de regularização de dívidas, os devedores acabam fomentando a disputa entre as instituições financeiras. Isso é benéfico a quem deve, pois, desse modo, tem-se disponíveis condições favoráveis à quitação de dívidas.

Desvantagens

Postergações de informações: em determinados casos, as instituições financeiras podem dificultar o fornecimento de informações sobre o histórico de movimentações do cliente e, dessa forma, comprometer quaisquer procedimentos de regularização de dívidas. O Banco Central determina que, em até 15 dias, o credor deve oferecer ao cliente as informações de, no mínimo, doze meses anteriores. Se o credor não fornecer os dados sobre a portabilidade da dívida, será necessário acionar o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) para fazer a reclamação;

Nem sempre a resposta é positiva: por mais que a portabilidade seja um dos procedimentos de regularização de dívidas mais atrativos, a organização pleiteada pode aceitar, ou não, esse procedimento. Inicialmente, a instituição avalia o histórico de pagamentos do cliente. Se tudo estiver em ordem, a portabilidade da dívida é validada pelo novo credor;

Burocratização da portabilidade: geralmente, débitos que envolvem a compra de patrimônios encontram certa dificuldade para serem portabilizados em procedimentos de regularização de dívidas. A portabilidade de um crédito imobiliário, por exemplo, pode ser mais complicada de ser empregada, pois existem bens de garantia que envolvem a compra dos produtos. Isso ocorre devido às despesas com cartório;

Ações de golpistas: o mercado financeiro não contém apenas instituições sérias e bem intencionadas. Podem ocorrer situações onde a organização estabelece ao cliente condições desproporcionais para que a portabilidade seja empregada. Por isso, é recomendável buscar por informações a respeito da credibilidade da organização e ficar atento às opiniões do público sobre como a empresa conduz os procedimentos de regularização de dívidas.

Então, ainda se questiona a respeito de qual dos procedimentos de regularização de dívidas é o mais recomendável ao seu caso? Quem sabe contar com o auxílio de um profissional especializado em consultoria financeira pessoal seja a motivação para você decidir qual adotar? Os serviços da Bremenkamp Consultoria Financeira podem te ajudar indicando procedimentos de regularização de dívidas que sejam benéficos à sua situação. Entre em contato com o nosso consultor financeiro e compreenda a eficiência da consultoria financeira pessoal!



× Chamar no WhatsApp!