De acordo com dados da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, divulgados em julho de 2017 pela Confederação Nacional do Comércio do Bem, Serviços e Turismo (CNC), a maior parte das dívidas dos brasileiros é com cartão de crédito, resultando em 76,8% da população endividada. Isso ocorre devido à falsa facilidade de pagar despesas e pelas altas taxas de juros cobradas quando você deixa de pagar a fatura ou paga apenas o mínimo. Pensando nisso, Raphael Bremenkamp te ensina algumas maneiras de negociar dívidas no cartão.

Como negociar dívidas no cartão?

Negociar dívidas no cartão não costuma ser algo fácil de se fazer, mas o importante é manter o zelo e, em hipótese alguma permitir que a dívida prescreva. Afinal de contas, negociando seus débitos você limpa seu nome e a operadora do cartão recebe o que é justo.

O cartão de crédito apresenta uma das maiores taxas de juros do mercado, mesmo depois das novas regras anunciadas em 2017. Isso faz com que uma dívida inicialmente baixa se torne uma bola de neve em bem pouco tempo. Por isso, o ideal é fazer de tudo para pagar o valor total da fatura.

Entretanto, se tudo saiu do controle e a dívida cresceu, chegou a hora de negociar dívidas no cartão para evitar que o juros se multiplique ainda mais. Saiba como, a seguir.

Dicas de negociação de dívidas

1- Ponha suas contas no papel

Antes de tomar qualquer decisão é necessário que você saiba qual o valor inicial da dívida, quanto você já pagou, o valor dos juros e quanto ainda falta para a quitação total. Com essas informações você terá como mensurar se a proposta que irão lhe oferecer está sendo realmente justa.

dicas úteis para negociar dívidas no cartão

2- Faça contato com a central do cartão

Entrando em contato com a central, você pode informar que deseja negociar dívidas no cartão. Com isso, você demonstra interesse em solucionar o débito e isso já faz com que as formas de negociação de tornem mais fáceis. Lembre-se que você não precisa explicar o motivo da dívida, apenas o interesse em quitá-la é suficiente.

No momento do contato, questione qual o Custo Efetivo Total (CET) da dívida. Com isso, você consegue saber o valor total a pagar, identificando juros, taxas e impostos. Além disso, não aceite a primeira oferta que lhe oferecerem. Serão feitas algumas nem um pouco vantajosas para você. Mas, como você já terá feito contas, saberá se vale a pena ou não. Por isso, não desista até conseguir uma proposta realmente boa.

3- Negocie parcelas fixas

Para que você finalize a negociação das dívidas do cartão, feche um acordo em que você pagará por parcelas fixas. Com isso, se torna mais fácil definir o CET e planejar o orçamento dos meses posteriores. Não aceite propostas em que as parcelas aumentam com o tempo e os juros do cartão continuam contando.

4- Troque a dívida por uma mais baixa

Em alguns casos, negociar dívidas no cartão se torna impossível de tão altos que são os juros. Nesse caso, pense na possibilidade de adquirir um empréstimo, que tem taxas de juros bem menores, para quitar a dívida do cartão.

5- Conte com a ajuda de um consultor financeiro

A melhor maneira de negociar dívidas no cartão e evitar dívidas em geral é contando com um planejamento financeiro. Assim, você não precisa desembolsar grande parte do seu orçamento no pagamento de juros.

Para isso, você pode contar com Raphael Bremenkamp, que há anos atua no ramo de consultoria financeira para reestruturar suas finanças. Em nosso site, você pode agendar a primeira consultoria financeira pessoal gratuitamente. Entre em contato e conheça mais sobre o consultor financeiro Raphael Bremenkamp.

Links úteis:
coaching financeiro
consultor financeiro pessoal rj
consultor financeiro pessoal sp