O Imposto de Renda de Pessoa Física é um imposto federal que incide sobre toda pessoa física com ganhos acima do teto máximo estipulado pela receita. O contribuinte deve sempre informar os ganhos do ano anterior (em 2018, os ganhos de 2017, por exemplo), para serem apurados e, em alguns casos, restituídos. A Receita Federal começou a receber declarações do Imposto de Renda 2018 no dia 05 de março e o prazo para o envio termina esse mês, no dia 30.

Se você ainda não fez o Imposto de Renda 2018, seja por esquecimento ou por dúvidas, não perca tempo e veja todos os esclarecimentos que Raphael Bremenkamp preparou para você, a seguir.

Informações sobre o Imposto de Renda 2018

como declarar imposto de renda 2018

Quem é obrigado a declarar?

Será obrigado a declarar o Imposto de Renda 2018 pessoas que receberam tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano de 2017. O valor é o mesmo da declaração do ano passado.

Além disso, devem declarar:

– pessoas que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados de forma exclusiva na fonte, em que a somatória superou o valor de R$ 40 mil em 2017;
– quem conquistou, em qualquer mês de 2017, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto ou investiu em bolsa de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
– quem apresentou valor superior a R$ 142.789,50 em atividade rural em 2017;
– quem possuía posse ou propriedade de bens ou direitos, incluindo terra nua, com valor maior que R$ 300 mil até 31 de dezembro de 2017;
– quem passou a residir no Brasil em qualquer mês de 2017 e se encontrava nessa condição em 31 de dezembro de 2017.

Pessoas que optam por uma declaração simplificada do Imposto de Renda 2018 estão, de forma automática, abrindo mão das deduções admitidas na legislação tributária, como gastos com saúde e educação. Entretanto, possuem direito a uma dedução de 20% do valor dos rendimentos tributáveis, que limita-se a R$ 16.754,34.

Quais dispositivos disponíveis para fazer a declaração?

Você pode elaborar sua declaração de Imposto de Renda 2018 utilizando:

– computador: baixando o Programa Gerador da Declaração (PGD) IRPF2018, que fica disponível no site da Receita Federal;
– dispositivos móveis: por meio do aplicativo Meu Imposto de Renda, encontrado no Google Play e na App Store;
– acessando o serviço “Meu Imposto de Renda” pelo computador, que está disponibilizado no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), utilizando certificado digital.

Quais documentos separar?

 

Você deve separar todos os comprovantes de rendimentos de 2017, seja com educação, compra e venda de bens ou doação de alguma espécie. Aposentados também devem separar comprovantes do rendimento obtido com a Previdência Social e com a privada, se for o caso. Além disso, também devem ser separados comprovantes de gastos com saúde.

Quais despesas podem ser deduzidas?

– Saúde: despesas relacionadas à saúde podem ser deduzidas de forma integral. Isso inclui plano de saúde, exames, dentista, psicólogo, fisioterapeuta, hospital, e qualquer outro gasto que tenha ligação. Em cada despesa é necessário informar o nome, CPF do profissional ou CNPJ do local, com o valor pago. Caso você tenha recebido reembolso de algum procedimento, também é necessário informar.

– Educação: diferentemente dos gastos relacionados à saúde, despesas com educação tem um limite de dedução no cálculo do IR. Para o Imposto de Renda 2018, o limite por indivíduo é de R$ 3.561,50. Entretanto, gastos com instrução estão restritos a educação infantil (creche e pré-escola), ensino fundamental, ensino médio, educação superior (graduação e pós-graduação) e educação profissional (ensino técnico e o tecnológico).

– Dependentes: quem possui dependentes no imposto tem direito à dedução de R$ R$ 2.275,08 por dependente.

– Pensão alimentícia: os valores podem ser deduzidos de forma integral e devem ser declarados nas linhas 30, 31, 33 ou 34. Entretanto, só é válido se o pagamento for feito em cumprimento de decisão judicial ou por meio de um acordo homologado judicialmente ou por escritura pública.

– Previdência oficial ou privada: contribuições à Previdência Social oficial de União, Estados e Municípios podem ser abatidas de maneira integral do cálculo do Imposto de Renda 2018. No caso da previdência privada, como Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) ou Fundo de Aposentadoria Programada Individual (Fapi), você pode abater os valores contribuídos em 2017, com um limite de 12% dos rendimentos tributáveis.

– Aparelhos ortopédicos: gastos com qualquer aparelho ou prótese ortopédica, cadeira de roda, andadores, palmilhas, calçados ou qualquer outro aparelho podem ser deduzidos de forma integral do Imposto de Renda.

Quem pode ser citado como dependente?

– Filhos;
– irmãos, netos e bisnetos;
– cônjuges;
– pais, avós e bisavós;
– no caso do contribuinte ter a guarda legal de um menor de 21 anos.

Não consegui declarar o Imposto de Renda, e agora?

Se você não se acha preparado para efetuar a sua declaração de Imposto de Renda 2018, não se preocupe. Você pode contar com um consultor de finanças pessoais para que ele consiga te auxiliar. Para isso, entre em contato com Raphael Bremenkamp o mais rápido possível e esclareça suas dúvidas com uma consultoria financeira pessoal. A primeira consultoria é grátis! Não perca tempo e fale com quem entende do assunto.

Links úteis:
consultor financeiro pessoal rj
consultor financeiro pessoal sp
consultor financeiro