Ensinar sobre educação financeira ainda é uma atitude pouco comum no Brasil. Infelizmente, esse fato pode causar sérias consequências no futuro, como a falta de controle de gastos e o endividamento. Por isso, ao contrário do que muitos pensam, instruir filhos sobre dinheiro e incentivar a participação nas finanças da família são atitudes que devem ser realizadas desde cedo. Neste artigo, o consultor Raphael Bremenkamp oferece dicas para começar a introduzir o tema entre os jovens.

4 dicas para envolver os adolescentes nas finanças da família

Utilize a mesada

A mesada é uma ferramenta de ensino que deve ser usada com sabedoria e cautela. Seu propósito é preparar o adolescente para lidar com o dinheiro, mesmo que seja apenas uma remuneração simbólica. Estabeleça sempre um diálogo com o seu filho sobre metas, poupanças e planejamento. Não se esqueça de deixá-lo ciente de que, assim que a mesada for gasta, ele precisará aguardar pelo próximo mês para receber novamente. Também é fundamental instruí-lo sobre o que é pertinente comprar de acordo com a idade.

Um erro comum que os pais cometem é usar a mesada como uma forma de chantagem para conseguir o comportamento desejado. Outra atitude questionável é oferecer bonificações em dinheiro para a realização de tarefas domésticas, trabalhos escolares, etc. Esse hábito pode deturpar a relação do jovem com o dinheiro e incentivá-lo a agir apenas motivados pela remuneração.

Incentive a participação

Sempre que for necessário realizar alguma reunião para definir orçamentos domésticos, permita que o seu filho participe e deixe-o ciente da situação atual das finanças da família. Se for necessário reduzir gastos, peça a opinião dele, explique o porquê dessa atitude. Mesmo que a temática pareça complicada demais, encontre uma forma de explicação mais simplificada.

Criem juntos objetivos para a família de curto, médio e longo prazo e explique a importância do planejamento e da reserva de emergência. Dessa forma, o adolescente terá mais facilidade de entender a importância das decisões e mais consciência no momento de lidar com o próprio dinheiro.

Ensine a cultura da poupança

A impulsividade é um dos maiores inimigos da poupança. Explique os limites para os gastos e a importância de poupar dinheiro. Uma forma mais dinâmica de incentivar a economia é criar uma meta pessoal para o seu filho e definir a quantia que deverá ser reservada mensalmente para garantir esse propósito. Observe se a tarefa está sendo cumprida e caso contrário, crie uma nova meta que irá gerar mais motivação.

O segredo desse passo é ter paciência. Não se desespere caso o adolescente não acerte no começo e se esqueça de poupar. Mostre o caminho certo e as vantagens de segui-lo com tranquilidade até que a economia se torne um hábito.

Divisão de contas

Encorajar a divisão de contas com os jovens da casa estimula a autonomia e responsabilidade, assim como a valorização do lar. Entretanto, o conceito de corresponsabilidade deve ser ensinado de forma espontânea, sem imposições ou proibições, para não causar o efeito contrário.

De acordo com o psicólogo Marcelo Quirino, o diálogo é a melhor forma de incentivar o hábito: “Explicar os gastos que a casa possui e definir com um filho um valor a ser doado por mês é uma boa saída. Mesmo que o valor seja pequeno, serve para despertar a responsabilidade, o compromisso e o companheirismo”.

Seja sempre o maior exemplo

Os pais são sempre o melhor exemplo para os filhos. Portanto, não adianta instruir sobre as atitudes certas se elas não são seguidas por você. Certifique-se de que você está seguindo os mesmos conselhos dados e, sempre que cometer alguma falha nas suas finanças pessoais, seja transparente e mostre as atitudes que estão sendo tomadas para remediar o problema. Torne a educação financeira um hábito.

Se você gostou do conteúdo e deseja assumir o verdadeiro controle das finanças da família, conheça a minha consultoria financeira pessoal, que te ajudará a lidar com o dinheiro de forma mais consciente e a tirar todas as suas metas do papel. Entre em contato e agende a sua primeira reunião sem custos.

Links úteis:
coaching financeiro
consultor de investimentos
consultoria financeira