Ao completar 18 anos, o jovem é inserido a um novo mundo de cobranças. Seja por parte da família, amigos, relacionamentos, faculdade ou mercado de trabalho, existem, sim, novas preocupações. Com isso, as despesas também aumentam e não ter o controle disso, mesmo que tão novo no mundo adulto, pode resultar em dor de cabeça. Por isso, o consultor financeiro Raphael Bremenkamp separou dicas essenciais para esse momento da vida. Atente-se aos pontos sobre educação financeira para jovens a seguir e cuidado para não se endividar. Saiba como investir nos sonhos ganhando, na maioria das vezes e inicialmente, pouco.

Conheça a educação financeira para jovens

importância da educação financeira para jovensImportância

A importância da educação financeira para jovens deve ser bem clara desde os primórdios. Mesmo sendo indispensável para todas as idades, é da juventude que se começa a pensar nisso. São investimentos para o futuro que começam nessa hora, por exemplo. Saber lidar com finanças desde cedo previne de muitos problemas maiores futuros.

Análise

Fazer análise da real situação é o primeiro ponto da educação financeira para jovens. Qual é a renda, quais são as dívidas, estilo de consumo, despesas fixas e gastos supérfluos. Trace essas informações e descubra quem é você enquanto consumidor e pagador. A partir da análise fica mais fácil partir para o planejamento de ações de controle financeiro.

Planejamento

Planejar os gastos é o ponto mais alto da educação financeira para jovens. Ele começa pela análise supracitada e termina, de fato, no controle dos gastos. Aqui, defina o que são as despesas necessárias e o que está de supérfluo no seu cotidiano. Se a grana estiver mais apertada, só com os cortes que será possível ter um respiro e se reorganizar. Caso contrário, a bola de neve te afundará mais ainda nas dívidas.

Também faz parte do planejamento definir quais são as metas. Por metas, entendemos as de pequeno, médio e longo prazo. Em outras palavras, quais são seus sonhos e vontades? Quanto dinheiro a execução deles depende? Crie metas realistas e defina um cronograma de poupança para atingir a quantia necessária. Lembre-se: o processo só é saudável quando tira uma parcela do seu salário que ainda permita lidar com os gastos fixos.

Investimentos

A poupança é um grande investimento que o jovem pode fazer. E não estamos falando da sua conta poupança do banco. Além de poupar naturalmente evitando gastos supérfluos, já é hora de investir em tesouro direto, por exemplo. Se você não sabe o que é, leia o artigo que o consultor financeiro Raphael Bremenkamp preparou exclusivamente sobre tesouro direto.

Mudanças

Mudanças na educação financeira para jovensVocê não quer começar a sua vida de consumidor/pagador já no cheque especial, certo? Ou então com score de crédito baixo? Para isso, não gaste mais do que você ganha. Parece óbvio, mas essa é a falha na educação financeira para jovens mais comum. Existe um método saudável para esse transtorno não fazer parte da sua realidade. Separe 50% da renda para as despesas fixas (o que te mantém de fato), 15% para dívidas ou reserva de emergência e 35% para gastos não tão essenciais e propensos a cortes.

Consultoria financeira para esse momento

educação financeira para jovens e consultoria financeiraPara o correto controle da educação financeira para jovens, você já pode contar com uma consultoria financeira pessoal. Conte com a Bremenkamp Consultoria Financeira. Agende sua primeira reunião de forma gratuita e organize suas finanças e atinja os objetivos pessoais. Entre em contato agora mesmo para mais informações.