Hoje, tornou-se mais comum o aumento de pessoas que optam, quando estão com a conta zerada, pelo cheque especial. Ninguém quer ficar com o nome sujo por inadimplência. O problema é que essa suposta ajuda do banco pode se tornar uma armadilha. Entenda melhor neste novo artigo como funciona o cheque especial e suas vantagens e desvantagens.

Cheque especial: entenda o funcionamento!

O cheque especial funciona como um empréstimo automático fornecido pelo banco quando é necessário gastar um valor maior. Esse crédito fornecido fica disponível para ser utilizado a qualquer momento. Porém, dependendo do que for acordado entre banco e cliente, isso pode causar uma bola de neve de preocupações.

O banco não solicita nenhum tipo de garantia antes de disponibilizar o cheque especial. Por essa razão os juros costumam ser tão altos. Suponhamos que, a partir da conta zerada, você necessite de R$500 do cheque especial. Se em um ano a dívida não for paga, com os juros, o valor sobe para R$2408. Segundo a Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), cartões de crédito e cheque especial lideram o ranking das linhas de crédito com juros mais altos.

Juros

Como citado anteriormente, o valor para empréstimo fica disponível e a utilização é fácil. Ou seja, as chances de entrar em dívidas crescem mais ainda. O grande problema está em achar que o valor é uma extensão da conta. Isso faz com que muitas pessoas gastem e não pensem nos juros. Ao ano, os juros do cheque especial sobem 327%. Diferentemente do empréstimo consignado, que beira a média de 42,8%. Esse levantamento é fornecido pelo Banco Central. Esses dados, claro, de acordo com a sua instituição financeira.

Na utilização de 15% do cheque especial por 30 dias seguidos, o banco deve oferecer opções mais baratas de crédito. Partirá do cliente a decisão de parcelar a dívida ou continuar utilizando o cheque especial. A cada 30 dias de permanência, o banco oferece novas propostas. Essa regra é aplicada em dívidas superiores a R$200 no cheque especial.

Ainda existem os clientes que, na data limite para pagamento da dívida do cheque especial, não possuem a quantia. Ou também os que estouram o limite disponibilizado pelo banco. Nesses casos, juntamente com os juros uma multa é imposta em cima do valor final. Ou seja as dívidas tendem a aumentar consideravelmente.

Cancelamento

O cancelamento do serviço pode ser uma opção viável para quem não tem garantia de controle durante utilização. Como muitas das vezes ele é liberado automaticamente, tende-se a pensar que sua extinção não é possível. Lembre-se de exigir do banco, no ato do cancelamento, um documento protocolado. O documento apresenta solicitação, carimbo, data e assinatura do funcionário responsável. No caso de cobranças posteriores indevidas, as provas de que cheque especial foi cancelado já estão em mão.

Como saber se preciso?

necessidade de cheque especialO primeiro passo é entender que esse limite disponibilizado pelo banco não pertence a você. Portanto, seu destino não está em gastos supérfluos. Em caso de doenças e outras emergências o cheque especial pode ser muito necessário. Todavia, para lidar de forma saudável com as dívidas, o recomendado é o auxílio de consultor financeiro.

Conte com Raphael Bremenkamp. Especialista em coaching financeiro, com capacidade para apresentar as melhores soluções para você. Em nosso site já falamos sobre como organizar finanças, economizar para casar, aumentar score de crédito e muito mais. Conte com quem entende!