Quem já possuía poder de compra no fim da década de 80 e início dos anos 90, presenciou a maior taxa de inflação da história do Brasil: chegou à casa dos 100%, fazendo com que o preço dos itens, principalmente alimentícios, disparasse. A situação se estabilizou depois da implementação do plano real e do estabelecimento, pelo Banco Central, das metas de inflação, para manter a variação dos preços sob controle. Hoje, os índices variam de acordo com diversos fatores, mas, dificilmente, ultrapassa os 5%. A meta para 2017, por exemplo, foi fixada em 4,5%.

Mas, apesar de interferir tanto na vida dos brasileiros, pouca gente sabe realmente o que significa a taxa de inflação, como ela é calculada, e qual o impacto dela na vida dos consumidores de diferentes faixas etárias e poderes aquisitivos.

Se você tem dúvidas sobre a taxa de inflação, acompanhe esse artigo que Raphael Bremenkamp preparou para você.

Tire suas dúvidas sobre a taxa de inflação

aprenda sobre taxa de inflação

O que é inflação

A taxa de inflação é o percentual calculado sobre o aumento no preço dos produtos. Esse percentual é referente ao aumento ou diminuição no preço de um determinado grupo de bens e serviços, em um período pré-determinado. Os itens inclusos vão desde as frutas que você compra na feira, até o valor que você paga de aluguel ou na mensalidade da escola do seu filho. A inflação interfere em todas as áreas da nossa vida e, quando ela aumenta desproporcionalmente ao nosso salário, perdemos o que chamamos de poder de compra.

O aumento na taxa de inflação pode acontecer devido a diversos fatores, como período de seca, valorização dos imóveis, entre outras. O controle da taxa de inflação é feito pelo Banco Central, por meio da chamada meta de inflação, que impede aumento desregrado no preço dos produtos, que é causado, também, por estratégias políticas e monetárias.

Como a inflação é calculada

O principal fator para medir a taxa de inflação é uma pesquisa de preço conduzida por instituições credenciadas em todo o Brasil. Os resultados são convertidos em percentuais, que demonstram a variação de preço. Se um item subiu 3%, a taxa de inflação para ele é de 3%. Essas medições são feitas a partir de uma determinada cesta de produtos, que têm a variação de preço medida em um espaço de tempo.

Quais são os índices de preço levados em conta

Existem mais de dez índices utilizados para que a taxa de inflação seja calculada. Cada índice conta com uma metodologia diferente, e a medição é feita por um órgão especializado diferente, como o IBGE, FGV e a Fipe. O que diferencia esses índices são os dias em que eles são apurados, os produtos que eles incluem, o peso deles na composição geral da taxa de inflação e as características da população estudada.

Alguns dos índices levados em conta são:

– IPCA (Índice Nacional de Preços Ao Consumidor Amplo), é elaborado pelo IBGE, verifica o custo de vida das famílias com renda mensal entre um e 40 salários mínimos, que residem nas principais capitais brasileiras. Ele considera gastos como alimentação e bebidas, artigos de residência, comunicação, despesas pessoais, educação e habitação;
– INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), também é elaborado pelo IBGE e monitora o custo de vida média das famílias com renda mensal entre 1 e 6 salários mínimos, residentes nas principais capitais do país. Os gastos considerados são os mesmos levados em conta no IPCA;
– IGP (Índice Geral de Preços), é elaborado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e monitora as variações de preços desde matérias-primas até seu beneficiamento. Esse índice é formado a partir de três outros indicadores econômicos: IPA (Índices de Preços por Atacado), IPC (Índice de Preços ao Consumidor) e INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) e leva em conta custos de habitação, alimentação, transportes, saúde e cuidados pessoais, educação, leitura e recreação, vestuário e despesas diversas.

A inflação é sentida igualmente por todos?

A taxa de inflação é sentida por toda a população do país, mas, de uma maneira diferente. Por exemplo, duas famílias gastam R$ 600 com alimentação, mas, enquanto uma possui rendimentos de seis salários mínimos, uma possui renda de dois salários mínimos. Sendo assim, a taxa de inflação alta nos alimentos será muito mais sentida em famílias com a renda menor.

Da mesma forma, a taxa de inflação alta da mensalidade escolar não interfere na vida de famílias que não possuem crianças, nem a alta do aluguel em famílias que residem em casa própria. O que acontece é que a taxa de inflação é um índice geral, mas com grupos particulares. Sendo assim, quando há uma alta na inflação, ela não será, necessariamente, sentida por todos, já que cada grupo de bens e serviços têm um peso diferente e interferem nessa variação final.

E agora, conseguiu entender um pouco mais sobre a taxa de inflação, que tanto assusta os brasileiros? Aqui no blog da Bremenkamp Consultoria Financeira, você sempre encontra muitas dicas que podem facilitar a sua vida financeira e te ajudar a entender um pouco mais sobre o mercado financeiro e a economia.

E, se você precisa de uma ajuda com as suas finanças, conte com Raphael Bremenkamp! Com anos de vivência no mercado, ele é o consultor financeiro ideal para dar orientações que você precisa para retomar o controle sobre as suas finanças. Entre em contato com a nossa consultoria financeira pessoal e agende uma conversa!

Links úteis:
consultoria financeira SP
consultor de finanças pessoais